Publicado em 13/09/19 às 11h10

Nota de falecimento – Dr. Roberto Clausi

A AMIB comunica com pesar o falecimento do Dr. Roberto Clausi, aos 85 anos. O pneumologista e intensivista teve papel de grande relevância a medicina intensiva brasileira. Conheceu a área ainda nos anos 60, em Roma. Ao voltar ao Brasil, trabalhou pela instauração de leitos de UTI. 

Conheça um pouco mais da história e da importância do Dr. Roberto Clausi.

Homenagem do presidente da AMIB, Dr. Ciro Leite Mendes

Como bem disse o meu célebre conterrâneo, Ariano Suassuna, "o homem não nasceu para a morte: o homem nasceu para a vida e para a imortalidade”. E essa "não morte" reside, a meu ver, essencialmente, no exemplo de vida e no legado que transmitimos. Entre todos os legados que me vinham à mente, sempre que pensava no assunto e que invariavelmente me servia e serve de exemplo a mim mesmo, um dos mais marcantes sempre foi o do Dr. Roberto Mauro Clausi, o qual, infelizmente, faleceu na noite de ontem. 

Algumas das suas inúmeras virtudes - era pai de família, cidadão e profissional exemplar - já seriam suficientes para garantir sua eternidade na memória daqueles que o amavam e que com ele conviviam. Mas, inquieto como era, sempre foi além. O seu pioneirismo na Medicina Intensiva, conhecido de todos, a sua paixão pela especialidade, que fez com que atuasse em plantões até uma idade bastante avançada, a sua capacidade agregadora e a sua vasta erudição (que ia muito além da Medicina) são todos responsáveis pelo surgimento, ampliação e perenidade de uma rede de discípulos, amigos e admiradores que irão mantê-lo vivo na memória dos profissionais e na história da terapia intensiva brasileira. 

Eu, particularmente impulsionado como sempre fui pelo seu exemplo, sinto e sentirei, assim como muitos e muitos, a perda do amigo. No entanto, inconformado que sou com a nossa aparente finitude, respondo à morte com a intransigente rebeldia de perpetuar o seu exemplo - arquétipo do intensivista apaixonado - e o seu legado de conhecimento, dedicação e capacidade de integração. 

Em nome dos profissionais da terapia intensiva brasileira, tenha uma boa eternidade, Dr. Clausi!

Homenagem da ex-presidente da AMIB, Dra. Mirella Cristine de Oliveira

Foi uma grande perda para a Medicina Intensiva paranaense e brasileira. Ele nos contagiava com sua paixão pela especialidade e nos brindava com seu entusiasmo e alegria constantes. Um professor criativo e, acima de tudo, uma grande figura humana, uma referência  para todos nós intensivistas. Estamos de luto.

Relevância na Medicina Intensiva

A história do médico pneumologista e intensivista do Paraná está diretamente ligada à evolução da Medicina Intensiva em nosso país. Dr. Clausi, formado em medicina em 1957 e especializado em pneumologia em 59, contou que nos anos de 1965 e 1966 foi fazer um curso, em Roma, e conheceu o trabalho em terapia intensiva na Policlínica Rianimazione. 

No mesmo ano de 66, teve acesso, em Copenhague, Dinamarca, procedimento adotado para tratar problemas respiratórios em pacientes acometidos pela poliomielite, em uma Epidemia que marcou o verão de 1952 de Copenhague. "Era o nascimento da ventilação mecânica", conta.

Ao voltar ao país, iniciou um processo para instaurar leitos de UTIs na região do Paraná. Em 1968, é montado o primeiro leito de UTI no Hospital São Vicente, em Curitiba. No ano seguinte, foi responsável pela ativação de mais dois leitos em uma sala cirúrgica que estava desativada no Hospital Santa Cruz, na mesma região.

Na mesma instituição, em 1970, ativa mais cinco leitos com R.H Enestron ER 300. "O equipamento era chamado pelos profissionais de aquário, porque era todo em vidro", relembra.

Seis anos depois, organiza a UTI do HC de Curitiba e do Hospital Sueisawa. Aposenta-se em 2003. Em 2010 se diz que: "estou na ativa plantonista feliz e constantemente na trincheira do dia a dia."

Desde 2010, o Congresso Brasileiro de medicina Intensiva tem um prêmio dedicado em seu nome. O Prêmio Roberto Clausi destaca o melhor trabalho submetido à Sessão de Temas Livres que aborde o tema Ventilação Mecânica.

Dr. Roberto Clausi teve papel importante na medicina intensiva brasileira. No ano passado, o pneumologista e intensivista recebeu a Medalha do Pacificador do Exército Militar Brasileiro, uma condecoração criada para militares e civis que tenham prestado serviços ao Exército.

Relembre o depoimento do Dr. Roberto Clausi sobre o intensivista. 

55 11 5089-2642
Rua Arminda, 93, sétimo andar – Vila Olímpia São Paulo, SP CEP: 04545-100